quinta-feira, março 31, 2005

os tubos do poder

karol wojtyla se alimenta por um tubo. terri schiavo também precisa de um tubo para sobreviver. são os dois superstars da tv mundial, num show de angústia, pena, medo e sofrimento.
cada vez que o papa fica mais doente, cada vez que vai para o hospital, cada vez que um boletim médico explica seu estado de saúde, cada vez que ele surge quase imóvel, cada vez que sua expressão dolorosa aparece, ele fica mais poderoso. éo grande homem que não se rende ao sofrimento, símbolo, mártir, exemplo. essa é a cultura de muitas religiões, principalmente da católica. o sofrimento é purificador. a dor é um presente de deus aos homens, éo castigo justo por nossos pecados. temos culpa, por isso temos que sofrer.
desde 1990, terry schiavo vive artificialmente. seu cérebro não funciona mais. a direita religiosa dos eua, tão importante porque ele reelegeu bush, vê nela também um símbolo, uma mártir do sofrimento. manter sua vida vegetativa émanter o aborto longe, manter a genética fora dos embriões, manter a abstinência sexual como único modo adequado de prevenir doenças, manter os cristãos que aceitem tudo isso como a classe mais poderosa do país.
é como se o mundo todo estivesse ligado a esses tubos. não para ajudar esses doentes, mas para prolongar seu sofrimento ad nauseum. o homem karol wojtyla não existe mais, apenas o papa joão paulo 2º. a mulher terry schiavo é só mascote de uma campanha anti-eutanásia. esse circo midiático, político, religioso, jurídico, não traz uma morte com dignidade para essas pessoas ou diminui seu sofrimento e das suas famílias.

quarta-feira, março 30, 2005

graciliano ramos

"Deve-se escrever da mesma maneira como as lavadeiras lá de Alagoas fazem seu ofício. Elas começam com uma primeira lavada, molham a roupa suja na beira da lagoa ou do riacho, torcem o pano, molham-no novamente, voltam a torcer. Colocam o anil, ensaboam e torcem uma, duas vezes. Depois enxáguam, dão mais uma molhada, agora jogando a água com a mão. Batem o pano na laje ou na pedra limpa, e dão mais uma torcida e mais outra, torcem até não pingar do pano uma só gota. Somente depois de feito tudo isso é que elas dependuram a roupa lavada na corda ou no varal, para secar.
Pois quem se mete a escrever devia fazer a mesma coisa. A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso; a palavra foi feita para dizer."

terça-feira, março 29, 2005

quanto custa a guerra?

cost of war

segunda-feira, março 28, 2005

barbooooooosa

barbooooooosa


em 1988 eu tinha apenas onze aninhos, era um menino puro e ingênuo do interior. até freqüentei a primeira comunhão. mas, numa terrível noite de março deste mesmo ano, eu fui corrompido, degenerado, estragado, viciado etc. quando assisti pela primeira vez o tv pirata. descobri que a vida podia ser mais suja e divertida do que eu pensava.
zeca bordoada, darciley, índio cleverson, reginaldo, agronopoulos, adelaide catarina, tonhão, cabocla jupira, barbooooooosa, e muitos outros personagens fizeram minha cabeça.
achava fantásticas toda aquela anarquia e inteligência, não dava para acreditar que a tv brasileira tivesse um programa tão ousado. bem diferente do “padrão globo de qualidade”. creio que o tv pirata foi como as grandes obras de arte de vanguarda, as quais mostram novos caminhos e possibilidades, quebram modelos aceitos por uma grande maioria e incentivam a criatividade.
hoje dá para ver que foi um seriado excelente pelos filhos que gerou: atores ótimos (regina casé, pedro paulo rangel, débora bloch, louise cardoso, denise fraga, marco nanini, diogo vilela, luiz fernando guimarães, otávio augusto, guilherme karan, ney latorraca), um grande diretor (guel arraes), e excelentes roteiristas (cláudio paiva, glauco, laerte, mauro rasi, vicente pereira, luis fernando veríssimo, e o pessoal do “planeta diário” e da “casseta popular”). todos nomes que até hoje fazem grandes trabalhos na tv, teatro, cinema, hq e literatura nacionais.
mais tarde fui saber que as grandes influências do tv pirata foram os programas de humor “saturday night live” e o maravilhoso “monty python flying circus”, respectivamente dos eua e da inglaterra. e isso não foi demérito nenhum, pois o tv pirata não apenas chupava as idéias dos gringos, mas sim adaptava para os atores e realidade do brasil, sem perder a ironia, o humor escrachado, o besteirol, o sarcasmo.
quadros como “tv macho”, “morro do macaco molhado”, “combate”, “piada em debate” eram de um humor simples e ao mesmo tempo improvável, o lado ridículo e engraçado de todas as coisas da vida. as sátiras da própria tv também eram ótimas, por exemplo a inesquecível novela “fogo no rabo”, paródia de “roda de fogo”. quando o empresário inescrupuloso e canastrão reginaldo (luiz fernando guimarães) aparecia na tela era só começar a rir. todos lembramos do seu lema singelo, “só existem três coisas importantes na vida: dinheiro, cheque e cartão de crédito”.
e claro, havia um personagem coadjuvante na novela que roubou a cena e nossos corações, barbosa (ney latorraca). ele era pai da suburbana natália (débora bloch) e sempre sofria com as armações do capanga agronopoulos (guilherme karan). barbosa, que só se limitava a repetir o próprio nome de forma hilária, “barbooooooosa”, era um velho senil e sacana. é inexplicável como um personagem tão besta e simples tenha feito tanto sucesso... mas nós amamos o barbosa!
agora faço um jabá, mesmo sem ganhar nada por isso: finalmente lançaram o dvd do tv pirata com os melhores episódios! procure por aí, vale muito a pena! eu até estou pensando em tirar o escorpião do bolso para comprar um aparelho de dvd...
e se você tiver banda larga, tente ver trechos no globo media center.

o dvd

domingo, março 27, 2005

super tosco

street chaves

quinta-feira, março 24, 2005

coisa velha

escrevi em 1998. guardo tudo que escrevo, às vezes olho e penso a respeito. será que piorei?! ou foi o país todo?!

FHC, O DENTISTA LOUCO

dentadura


FHC (Ficando Henrique Cariado), Presidente da República dos Desdentados do Brasil, é um dentista louco. Ele gosta de arrancar os dentes de seus clientes e depois cobrar uma fortuna para pôr uma dentadura.
Ele é formado em odontologia na melhor universidade latino-americana do 3o. Mundo da América do Sul, a USP (Universidade de São Pedro), além disso tem diversos cursos em várias partes do mundo, escreveu vários livros, e defendeu várias teses para ajudar os desdentados.
Em 64 lutou contra os militares que implantaram a dentadura no país. Ele gritava em manifestações nas ruas “Abaixo a dentadura”. Depois ele teve de procurar exílio em outros países latinos onde escreveu a “Teoria da Dentição” que revolucionou as classes de dentistas latinos.
Depois de retornar do ostracismo ele funda uma associação, o PSDB (Protéticos Somem com os Dentes Brasileiros) que tem idéias inovadoras para estabelecer uma maior saúde dental para os desdentados.
Mais tarde os desdentados escolhem um alagoano para Presidente da República dos Desdentados do Brasil, Collorido, que fica maluco e tem a idéia de collorir todos os dentes que sobraram dos brasileiros, com a ajuda de seu testa de ferro PC (Pessoa Corrupta). O presidente Collorido foi pego com a mão na poupança dos desdentados e acabou sendo expulso do país, hoje ele faz programas humorísticos onde soca mesas e grita sem nenhum motivo, e PC (Pessoa Corrupta) foi vítima de um crime passional de queima de arquivo. A policia alagoana prendeu o autor do crime, um revólver calibre 38 que pegará 30 anos de cadeia, podendo sair em 5 se tiver bom comportamento.
Depois disso assume o vice de Collorido, Itamar Francamente, que chama para cuidar da economia dos desdentados FHC (Ficando Henrique Cariado). Foi nesse momento que FHC (Ficando Henrique Cariado), contaminado por germes neoliberais, inventou o REAL, uma obturação revolucionária, que tinha como meta acabar com o Dragão das Cáries.
Assim FHC (Ficando Henrique Cariado), com o sucesso do REAL, se lança numa campanha a presidência com uma aliança com o PFL (Protéticos Fazem Liberalismo), que defende os dentes perfeitos para a elite e dentaduras para os demais. FHC (Ficando Henrique Cariado) consegue se eleger e começa uma nova era em sua vida, onde nega todas suas idéias passadas e passa a usar as dentaduras como símbolo de seu governo. Agora o grito está de novo nas ruas: “Abaixo a dentadura”.

quarta-feira, março 23, 2005

cana neles!

semana passada o governo de são paulo reduziu o grau de exigências ambientais para implantação ou ampliação de destilarias e usinas de cana-de-açúcar.
usinas de médio porte (moagem de até 1,5 milhão toneladas/ano) não precisam mais apresentar o eia-rima (estudo de impacto ambiental e relatório de impacto ambiental). agora basta entregar um rap (relatório ambiental preliminar), o qual dispensa a realização de audiências públicas e tem menos informações.
as relações cana-de-açúcar & geraldo alckmin são antigas. em 2002, usineiros e plantadores bancaram parte dos custos de um showmício do tucano. ainda neste ano, a assembléia legislativa prorrogou o fim das queimadas nas lavouras de cana só para 2021.
moro na região de ribeirão preto e tenho rinite, portanto faço parte do aumento de problemas respiratórios na época da queima. os postos de saúde recebem muito mais crianças para nebulizações. e, claro, as donas-de-casa passam as manhãs lavando os quintais sujos de fuligem preta.
é o agronegócio, fonte de muito dinheiro. e por isso, desequilíbrios também.

terça-feira, março 22, 2005

quem não se comunica...

o deputado severino cavalcanti não soltou mais um de seus supositórios verbais à toa. seu partido, o pp, quer porque quer o ministério das comunicações por um motivo bem simples: está chegando a hora da renovação de contratos das empresas de telefonia fixa. é a grande oportunidade para alterar os contratos, mexer nas metas acertadas e até nas tarifas. ou seja, grandes negócios e oportunidades à vista, chance de barganhar poder e dinheiro.
razão também porque o pmdb não quer de jeito nenhum largar o osso.

segunda-feira, março 21, 2005

software livre

soube que o governo brasileiro poupou 28,5 milhões de reais no ano passado por adotar o software livre. a economia pode chegar até 400 milhões quando a iniciativa se espalhar para todas as repartições públicas.
apoio totalmente o software livre! chega de dar dinheiro para a microsoft! os programas dela são lentos e dão pau toda a hora...
um programa de computador que pode ser usado, distribuído e modificado sem necessidade de pagamento de licença para o fabricante, isso é o software livre. nele o código é aberto, você pode saber como funciona, conhecer as falhas de segurança e alterar para o modo que você quiser usar.
é uma filosofia semelhante aos medicamentos genéricos, as fórmulas deixaram de ser exclusividade de poucas indústrias farmacêuticas. a quebra de patente permitiu a existência de medicamentos com preços justos.
o software livre tem programas mais baratos ou até gratuitos. eu uso o navegador mozilla, achei mais rápido e mais eficiente que o internet explorer.

e o cara ainda é corintiano!

tom zé (1972), relançado em 1982 como 'se o caso é chorar'


SENHOR CIDADÃO
(TOM ZÉ)
Poema "CIDADE" de Augusto de Campos

Senhor cidadão
senhor cidadão
Me diga, por quê
me diga por quê
você anda tão triste?
tão triste
Não pode ter nenhum amigo
senhor cidadão
na briga eterna do teu mundo
senhor cidadão
tem que ferir ou ser ferido
senhor cidadão
O cidadão, que vida amarga
que vida amarga.

Oh senhor cidadão,
eu quero saber, eu quero saber
com quantos quilos de medo,
com quantos quilos de medo
se faz uma tradição?

Oh senhor cidadão,
eu quero saber, eu quero saber
com quantas mortes no peito,
com quantas mortes no peito
se faz a seriedade?

Senhor cidadão
senhor cidadão
eu e você
eu e você
temos coisas até parecidas
parecidas:
por exemplo, nossos dentes
senhor cidadão
da mesma cor, do mesmo barro
senhor cidadão
enquanto os meus guardam sorrisos
senhor cidadão
os teus não sabem senão morder
que vida amarga

Oh senhor cidadão,
eu quero saber, eu quero saber
com quantos quilos de medo,
com quantos quilos de medo
se faz uma tradição?

Oh senhor cidadão,
eu quero saber, eu quero saber
se a tesoura do cabelo
se a tesoura do cabelo
também corta a crueldade

Senhor cidadão
senhor cidadão
Me diga por que
me diga por que
Me diga por que
me diga porque

domingo, março 20, 2005

2 X 0

meus poderes funcionaram e o corinthians ganhou!

sábado, março 19, 2005

bobeirinha





Faça você também Que
gênio-louco é você?
Uma criação de O Mundo Insano da Abyssinia


meus poderes paranormais

uma senhora com os braços para o alto e olhos fechados, fisionomia séria, testa franzida, boca murmurando palavras pausadamente. não, ela não estava numa igreja ou procissão, mas sim em um estádio de futebol, no meio de outros tantos torcedores, pedindo fervorosamente aos céus que seu time marcasse um gol.
vi essa imagem no meio de semana num programa esportivo. é curioso como o torcedor mostra fé e paixão quando vê seu time jogando. parece que do seu grau de fanatismo depende o resultado do jogo.
também faço isso, assim não ridicularizo esse comportamento ridículo. acho muito importante ver os jogos do corinthians com atenção. creio que posso ajudar o timão a marcar um gol, mesmo vendo pela tv a centenas de quilômetros, basta me concentrar. torcer para que o escanteio seja bem batido, secar o zagueiro do outro time, rezar para que a bola caía na cabeça do atacante e vá depois parar no canto oposto do goleiro. tudo isso em poucos segundos. tápensando que é fácil torcer?!
amanhã, repetirei todo esse ritual, tem curintia e parmera, o jogo mais importante de qualquer campeonato que se preze. acho que até na copa do mundo deveria ter.
e aquela senhora que citei acima (mulher odeia futebol, mas aquelas que gostam são terríveis!) era palmeirense. espero que ela não reze muito amanhã...

sexta-feira, março 18, 2005

coluna social

confesso meu preconceito com as colunas sociais dos jornais. ler as últimas sobre as celebridades do momento nunca foi minha praia. acho essas pessoas ridículas, seus sorrisos falsos, idéias prontas, roupas cafonas, sempre tive enjôo disso.
creio que só se salvam as colunas sociais de jornais grandes, pois elas são mais sérias, comentam a vida de pessoas da política, literatura, música, economia, academia etc. essa gente “intocável” fica de porre, briga, xinga, sorri, chora, enfim, com isso dá para conhecer melhor a personalidade desses ícones, saber o lado humano deles. claro que não estou falando das colunas sociais de mau gosto, cheias de fotos de gente sarada e comentários sobre adultérios.
minha “celebridade” favorita do momento é lógico que é o severino cavalcanti. quando digo que ele é meu ídolo, não estou sendo completamente cínico. o cara é tão autêntico, tão simples, que você acaba simpatizando um pouco com ele. pelas colunas sociais, observo que ele é o arquétipo do político profissional, procura receber bem e agradar qualquer tipo de poderoso que possa dar algo em troca para ele.
é assim com a cúpula do pt, é assim com os empresários e banqueiros do país. chamou, por exemplo, o lázaro brandão, presidente do bradesco, de “dono do brasil”. acho que não seria capaz desse tipo de comportamento, não porque seja bonzinho e honesto, mas porque sou tímido e anti-social. quando não gosto de uma pessoa, o máximo que consigo ser é civilizado, bajular nunca. sei que já perdi muita coisa agindo assim, mas...
no caso de severino, segundo as colunas sociais, ele adora puxar papo, elogiar, gabar-se do seu nacionalismo e bairrismo, criticar por criticar, enfim, a língua dos poderosos. mas não dá para saber quando ele é falso ou não. talvez esse conceito de falso/verdadeiro nem faça parte da vida de um político profissional, pois cada ocasião pede um discurso que agrade o convidado.
conclusão: se severino sempre mente, não existe verdade, e assim, não existe mentira também. por isso disse que ele é (ou só parece?) autêntico.
quem diria que uma coluna social pudesse tirar a máscara de alguém... preciso rever meus conceitos.

quanto você paga para um deputado?

salário = 12.847
verba de gabinete = 44.187
verba indenizatória (1) = 15.000
cota de correios e telefone = 4.268
auxílio-moradia (2) = 3.000
passagens aéreas (média) = 9.947

total = 89.249

(1) verba para montagem de escritórios políticos nos estados
(2) deputados que moram em apartamentos funcionais (poucos) não recebem

segredos e mentiras

foi aprovada a mp 228 que dá poderes para o governo manter indefinidamente em segredo documentos tidos como ultra-secretos. mas o que é algo ultra-secreto? segundo a medida provisória citada, é aquilo que possa ameaçar “a soberania, a integridade territorial nacional ou as relações internacionais do país”.
fica evidente que esses critérios estão sujeitos ao tempo, dependem dos governos da ocasião e da situação geopolítica do momento. muitos jornais dizem que o brasil pode estar querendo esconder supostos subornos no final da guerra do paraguai (1864-1870) que podem ter diminuído ainda mais o território do vizinho.
é um prato cheio para inventarem conspirações... ou não? quem garante que jânio quadros não era um e.t.? ou que o palocci é um robô?
o que é certo é que qualquer estado tem muitos podres para esconder...

quinta-feira, março 17, 2005

sons que contam a história

no site do franklin martins você encontra trechinhos de discursos no Congresso, falas em comício, proclamações de autoridades, slogans em manifestações de rua, jingles de campanhas eleitorais, hinos de partidos, músicas políticas, notícias de rádio que marcaram época etc.

quarta-feira, março 16, 2005

analfabetos

dia 15 de março de 2005, o país comemorou os 20 anos da volta da democracia. dia 15 de março de 2005, o país viu na assembléia legislativa de são paulo que a democracia voltou pela metade.
na teoria, os mandatos dos cargos executivos no brasil deveriam durar quatro anos. na realidade, são apenas dois, ou menos. a administração do presidente lula já está concentrada em sua reeleição, que será disputada apenas em 2006. com articulações políticas, promessas de verbas e cargos, a elite petista vai tentando fragilizar os maiores adversários de lula no seu projeto de poder. e, claro, a oposição reage na mesma moeda.
primeiro, foi na prefeitura de são paulo, quando no começo do ano josé serra não conseguiu eleger seu presidente na câmara de vereadores do município. o pt apoiou um dissidente do psdb, roberto trípoli, que venceu o candidato oficial ricardo montoro. é uma derrota política para josé serra, um possível candidato ao planalto, e também embaça a maior vitrine do psdb, a cidade de são paulo, pois a câmara de vereadores não vai aceitar todas as medidas do tucano para governar.
segundo, a eleição do folclórico e desconhecido severino cavalcanti para presidência da câmara dos deputados contou com a ajuda do psdb. foi o troco. agora lula tem que engolir o partido de severino, o pp de paulo maluf. isso representa dificuldades para governar e mostra para a opinião pública que o pt aceita barganhar cargos e acolhe em sua base aliada partidos da direita.
terceiro, ontem, na assembléia legislativa paulista o candidato do governador geraldo alckmin, o também tucano edson aparecido, perdeu a eleição para presidente da casa. de novo, o pt apoiou o candidato concorrente, rodrigo garcia, do pfl. além disso representar a perda de comando na assembléia, alckmin também pode ter problemas com o partido de seu vice do pfl, cláudio lembo. o governador é o nome mais forte no psdb para enfrentar lula.
nos bastidores, josé genoino, josé dirceu, marta suplicy e outros chefes do pt participaram do esforço para derrotar os tucanos. esses, do mesmo modo utilizaram seus principais nomes, como fernando henrique cardoso e arthur virgílio,
esforços
você já deve ter ouvido a expressão “esforço político”, a mídia e os próprios políticos adoram usar ela para dizer que estão trabalhando muito, por exemplo, votando leis de interesse da nação. mas em brasília os deputados e senadores não trabalham como nós, simples mortais, de segunda a sábado, mas sim apenas de terça a quinta. como você leu acima, hoje o maior esforço dos principais políticos brasileiros é um só: eleger de novo, ou não, lula em 2006. para não ser injusto, os políticos fazem também outro tipo de esforço, no vaso sanitário.
a reforma ministerial, que se arrasta desde novembro do ano passado, é mais uma prova do primeiro tipo de esforço. lula vai escolher ministros para agradar o pl, ptb, pmdb e o pp. ou seja, critérios técnicos e de competência para a escolha de ministros ficam para depois. é preciso conter principalmente o pmdb, pois lula não quer competir com garotinho em 2006. fhc fez praticamente a mesma coisa na sua vez. vide a compra de votos para reeleição e a aliança para domar o pmdb.
outra jogada no tabuleiro da reeleição de 2006 é a crise na saúde no rio de janeiro. o prefeito césar maia, candidato do pfl ao planalto, acusa a administração federal pelo péssimo atendimento nos hospitais fluminenses. já o ministro da saúde devolve e chama de incompetente o prefeito.
portanto, a tendência é colocar todos os políticos no mesmo saco, não acreditar mais em esperança nenhuma. no brasil, e em boa parte da américa latina, a democracia já não é tão valorizada depois de fracassos políticos e econômicos nesses países. “na ditadura que era bom, os militares prendiam e matavam os corruptos, não era essa bagunça”. frases como essa hoje não são ditas apenas por pessoas mais velhas e ignorantes, mas por jovens também.
democracia não é só eleger os políticos menos ruins para cargos executivos ou parlamentares, porém é isso o que temos hoje. creio que por sérios problemas educacionais o brasileiro não acompanha o processo político de seu país. essas manobras políticas para as eleições de 2006 têm reflexo direto na vida de todos, pois paralisam os governos, não privilegiam a eficiência administrativa e esbanjam dinheiro público. mas quantas pessoas têm capacidade para entender isso?
o mundo político esconde seus mecanismos do grande público de propósito. as decisões que envolvem poder e grandes quantias de dinheiro não estão disponíveis, não passam no jornal nacional. não são fáceis de entender como o aumento de salários dos deputados. precisam de vigília, leitura e reflexão.
o dramaturgo e poeta alemão bertolt brecht (1898-1956) resumiu esse ambiente nesse texto, o qual muitos conhecem, mas poucos entendem:

O Analfabeto Político

O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

máscara mortuária de brecht

segunda-feira, março 14, 2005

estou triste

ontem, perdi uma grande oportunidade de conhecer pessoalmente meu ídolo, severino cavalcanti. não é que ele esteve na minha cidade?! só fiquei sabendo hoje de manhã quando abri os jornais. o ilustre deputado participou de um evento a respeito da mp 232, aquela que aumenta os impostos.
infelizmente, não pude ver severino proferir mais uma de suas frases lapidares: “a Câmara dos Deputados não vai ser apenas o supositório do Poder Executivo”.
severino 2006!

atraso

enquanto você está lendo isso várias crianças com menos de um mês de vida estão morrendo. segundo o periódico médico “the lancet”, são 4 milhões por ano no mundo.
as causas principais são infecções, nascimentos prematuros e, pasmem, asfixia. é um absurdo, uma aberração grotesca, mas a maioria (70%) dessas mortes poderiam ser evitadas com medidas simples e baratas, como o acompanhamento médico (pré-natal), a assistência social e o acesso a antibióticos.
insistir no aleitamento materno, imunizar as pessoas contra o tétano, responsável por meio milhão de mortos ano a ano, alimentar e aquecer adequadamente os prematuros, são três exemplos de cuidados simples, mas ignorados na maioria dos países pobres.
é como se o planeta tivesse tempos diferentes. uns já vivem no século 21, outros ainda não saíram do século 20, e outros tantos acabaram de inventar a roda. o tempo não existe, ou melhor, é uma abstração que muda de lugar para lugar. muitos só têm o tempo de morrer.

domingo, março 13, 2005

leia e ouça poesia

o jornalista e o assassino

Todo jornalista que não seja excessivamente estúpido, ou por demais cheio de si, para perceber o que está acontecendo, sabe que o que ele faz é moralmente indefensável. Ele é uma espécie de confidente que se aproveita da vaidade, da ignorância ou da solidão das pessoas, conquistando sua confiança e traindo-as sem remorso.
Janet Malcolm

sábado, março 12, 2005

soul racional


quem já ouviu “tim maia racional” (1975), sabe que não é exagero: é um dos melhores discos já feitos no país. maldito, cult, obra-prima, raro, são alguns dos possíveis adjetivos para descrever esse trabalho, um vinil em dois volumes que tim maia lançou na época para fazer apologia e louvor a uma espécie de seita, a “universo em desencanto”, que diz ser possível encontros com extraterrestres.
é sabido que tim viveu como quis. drogas, sexo e brigas fizeram parte de sua carreira (nos dois sentidos da palavra). portanto, saber que houve um momento no qual ele parou com os excessos e virou “santinho” é surpreendente. não sei muito a respeito dessa seita, apenas que ela prega a “cultura racional”, uma forma de viver dita mais pacífica e inteligente em conexão com seres mais evoluídos de outros planetas. franqueza ou picaretagem? não sei, mas tim maia não agüentou muito tempo, saiu após mais ou menos seis meses de seita. disse não ter visto nenhum ovni nesse período.
pesquisando sobre “tim maia racional” soube que após voltar ao “normal”, ele passou a renegar o disco, evitava falar no assunto. talvez porque a crítica e gravadoras da época trataram com preconceito esse trabalho “místico”, tanto que só pôde ser lançado por um selo independente fundado pelo próprio cantor, o seroma (“amores”, ao contrário, e as iniciais de sebastião rodrigues maia, seu nome verdadeiro). descobri também que, ainda vivo, tim não deixou marisa monte gravar uma das músicas do disco, “imunização racional (que beleza)”.
nem mesmo depois da morte de tim maia, em 1998, os discos da sua fase “racional” foram relançados. seus herdeiros ainda discutem como dividir o espólio. com isso, os lps originais se transformaram em objeto de cobiça em sebos cariocas, valendo centenas de reais. cópias piratas, transformadas em cds, também circulam por aí distribuídas de amigo para amigo. e, claro, se você tiver paciência pode baixar o disco inteiro no kazaa.
não faz muito tempo, artistas começaram a regravar ou tocar em shows as músicas do “tim maia racional”, como monobloco, sandra de sá, davi moraes, gal costa e d2. as letras do disco falam muito da cultura racional, pregam a leitura de uma coleção de livros chamada “universo em desencanto”, que segundo tim cantava, é “a verdadeira verdade, a luz da humanidade”. parece chato, não é? sim, em alguns momentos é, como por exemplo num trecho da canção “bom senso”, na qual tim canta e ordena subitamente, “leia o livro universo em desencanto, não perca tempo”. porém, bem como naquelas maravilhosas canções do gospel americano, as letras também falam de coisas do dia-a-dia, paixões e dores das pessoas. a mesma “bom senso” inicia assim: “já virei calçada maltratada / e na virada quase nada / me restou a curtição / já rodei o mundo quase mudo / no entanto num segundo este livro veio à mão / já senti saudade / já fiz muita coisa errada / já pedi ajuda / já dormi na rua / mas lendo atingi o bom senso: a imunização racional”. não é só discurso religioso, é a vida de tim maia.
em outro aspecto, analisando só a parte sonora do disco, aí é pura covardia. soul, gospel, psicodelia, samba e funk de primeiríssima qualidade! a faixa “contacto com o mundo racional”, por exemplo, tem violões acústicos num estilo blues e um vocal afinado com falsetes emocionante. “o caminho do bem” é um funk com um groove lento e marcante. “guiné bissau, moçambique e angola racional”, tem rock e uma base quase só percursiva. “rational culture” é parte da pregação em inglês também presente, um electroboogie cheio de teclados (hammonds, sintetizadores, glockenspiels, moogs, clavinetes), backing vocals caprichados, excelente.
na internet, achei uma notícia sobre a intenção de david bowie regravar “tim maia racional”. seria algo fantástico, mas deve ser apenas boato. acho que só papai noel pra fazer uma coisa tão louca e legal dessas, dois gênios da música “juntos”. resta mesmo esperar que finalmente esse disco conceitual de tim maia volte para as lojas nacionais e finalmente mais pessoas possam se deliciar.

os nomes das faixas são estes:
- volume 1
“Imunização racional (Que beleza)” - (Tim Maia)
“O grão mestre varonil” - (Tim Maia)
“Bom senso” - (Tim Maia)
“Energia racional” - (Tim Maia)
“Leia o livro Universo em Desencanto” - (Tim Maia)
“Contacto com o mundo racional” - (Tim Maia)
“Universo em desencanto” - (Tim Maia)
“You don't know what I know” - (Tim Maia)
“Rational culture” - (Tim Maia)

- volume 2
“Quer queira quer não queira” - (Fábio - Tim Maia)
“Paz interior” - (Édson Trindade)
“O caminho do bem” - (Beto - Sergio - Paulo)
“Energia racional” - (Tim Maia)
“Que legal” - (Tim Maia)
“Cultura racional” - (Beto Cajueiro)
“O dever de fazer propaganda deste conhecimento” - (Robson Jorge)
“Guiné Bissau, Moçambique e Angola racional” - (Tim Maia)
“Imunização racional (Que beleza)” - (Tim Maia)

sexta-feira, março 11, 2005

existe um mundo melhor, mas não é aqui

espero não ser processado, mas acho que essa informação precisa ser muito divulgada. elio gaspari, um dos maiores jornalistas do país, escreve semanalmente para vários jornais e no seu último texto alerta para a existência de um serviço de telefonia muito barato por usar a internet de banda larga nas ligações. o problema é que só em países ricos esse serviço está disponível...


Lembra do telefone? Vai acabar

ELIO GASPARI

Nova York é uma cidade sabidamente pobre, com a população obrigada a viver, na média, com US$ 36 mil dólares anuais. Lá, como em diversas localidades americanas, a internet telefônica transformou-se num campo de competição empresarial. O Brasil, país sabidamente rico (US$ 3.300 anuais, na média), não precisa dessa bobagem. Talvez seja por isso que as grandes operadoras não batalham pela regulamentação do serviço, evitando assim a disputa comercial em torno de uma nova tecnologia que, na essência, prenuncia o fim do telefone como tal. Esse serviço só está disponível em Pindorama para grandes empresas. Os consumidores residenciais, se quiserem, precisam buscá-lo no exterior.
Uma operadora baseada na Europa cobra US$ 13 por mês e dá aos seus assinantes americanos dez horas de telefonia, seja para onde for. Aos demais, dá tarifas de sonho. Seu programa já foi baixado em 82 milhões de computadores. Nos Estados Unidos, uma empresa cobra US$ 25 a clientes de Nova York, sem limite de tempo, safando-os de impostos e taxas. Já conseguiu 400 mil assinantes. A Comcast, uma das grandes companhias de TV a cabo do país, já anunciou que vai entrar na competição. A Microsoft desenvolveu o programa Istanbul, que empacotou num só volume as mensagens eletrônicas e o operador de internet telefônica.
Houve um tempo em que as empresas estatais faziam reserva de mercado de serviços. Privatizou-se o sistema e namora-se a reserva de mercado tecnológica. A Telefônica informou ao repórter Pedro Marques que está "preparada a oferecer serviços de voz sobre IP quando for adequado a seus clientes". A Brasil Telecom diz parecido: "Assim que acharmos o momento adequado, faremos um posicionamento sobre os serviços". Até lá, posicione-se, sentada, a patuléia.
Com uns poucos acessórios (nada a ver com aparelhos especiais), qualquer computador ligado à rede por meio de um sistema de banda larga pode se transformar num telefone, com menos tarifas, menos impostos e mais recursos. Por exemplo: o cidadão tem conta em São Paulo, mas sua mãe mora em Manaus. Ele compra um número virtual no Amazonas e recebe telefonemas da mãe sem que ela pague a tarifa interestadual. Em 1999, Tim Berners-Lee, a pessoa mais próxima do título de "inventor da internet", já avisava que a ligação telefônica sem custo para o consumidor era coisa possível.
Há aí uma complexa, e bonita, questão de política pública. A internet telefônica reduz em cerca de 80% o preço das chamadas para quem tem computador e acesso de banda larga. Ou seja, refresca a vida do andar de cima. Mais: ela desafia a abusiva tributação telefônica. Enquanto isso, o andar de baixo continuará preso ao celular, as tarifas mais altas do mercado. Quiseram tributar os ricos. Vão tungar os pobres.
O que se pode fazer para aumentar o número de domicílios brasileiros com computador? Como se poderia trazer alguns milhões de brasileiros para dentro do serviço de banda larga? Vale a pena? Nessa hora, deve-se invocar o espírito de Sérgio Motta. Em 1995, os burocratas queriam que a Embratel (na sua encarnação estatal) tivesse o monopólio do provimento da internet. Havia 15 mil pessoas na fila, esperando para entrar na rede. Motta e FFHH chutaram o pau da barraca e entregaram o caso ao mercado.
O Brasil já está grandinho. O governo deveria ir para a porta da Anatel para chamar empresários interessados em abrir negócios de internet telefônica. Se eles conseguirem clientes, parabéns. Se não, pena.

quinta-feira, março 10, 2005

pão e rosas, mas também condoleezza rice

não simpatizo com datas como o dia internacional da mulher, talvez por isso só toque no assunto dois dias depois. acho que é legal prestar homenagem às mulheres, claro, mas fica a impressão que no restante do ano elas não precisam de carinhos e cuidados.
porém, gosto da maior parte dos movimentos feministas, pois esses sabem ter a doçura das mulheres e reivindicam direitos que elas precisam e devem alcançar se quisermos um mundo melhor (educação, trabalho, saúde, renda maior, respeito ao corpo e a sua sexualidade).
no começo do século xx (1908), aconteceram marchas de mulheres nos eua exigindo direito ao voto, trabalho e melhores condições de vida. a palavra de ordem delas era “pão e rosas”. acho isso de uma grande ternura, pois do que adianta ter só trabalho e renda (o pão) se também não houver amor e felicidade (as rosas)?
as mulheres são especiais por essa sensibilidade, por darem aos seus filhos não somente o alimento, mas o carinho também. nós homens, muitas vezes esquecemos dos sentimentos, só pensamos nas questões práticas da vida. contudo, acho que lentamente está chegando a época do “crepúsculo do macho”.
resolver tudo na porrada, não perguntar “como foi seu dia?”, achar que flores são coisa de veado, usar roupas que não combinam em nada, achar que tanque e fogão são acessórios exclusivos da mulher, não elogiar aquele penteado cafona da sua patroa, a cada dia que passa tudo isso é coisa do passado para nós homens. as mulheres já fazem de tudo, e melhor, sem os homens, por isso elas exigem que nós sejamos mais sensíveis e inteligentes. e como não dá para viver sem mulher, a gente evolui para conquistá-las. devagar, é verdade.
você deve estar dizendo, “besteira, pelo menos para perpetuar a espécie as mulheres sempre vão precisar dos homens!”. pode começar a chorar, eu soube que a genética já pode conseguir em laboratório que duas fêmeas gerem outro ser!
fiquei profundamente abalado também... pois, finalmente uma mulher vai ter razão quando disser “homem não serve pra nada!”. pensei muito a respeito, e cheguei a conclusão que só uma coisa ainda não tornou os homens completamente dispensáveis: nós servimos para matar barata!
bom, mas descobrir isso só me deu alguns momentos de felicidade, logo soube que até isso minha mulher já faz sozinha... enfim, o “trunfo da barata” está com seus dias contados também.
mas algo que me preocupa realmente nesse avanço das mulheres é ver que algumas são “masculinizadas”. não estou falando das lésbicas, e sim das mulheres que para conseguir grande poder passam a agir como homens naquilo que somos os piores: tirania e ganância. a secretária de estado dos eua, condoleezza rice, para mim é um exemplo de mulher assim. obviamente é ótimo que uma mulher tenha conseguido um cargo tão importante como esse, mas é uma pena que ela seja superconservadora e defensora da guerra. mas não sejamos ingênuos, na estrutura de governo dos eua só uma mulher assim chegaria ao poder.
existe um preconceito que mulher bonita e/ou sensual não pode ser inteligente e bem-sucedida ao mesmo tempo, e as próprias mulheres dizem isso. acho uma pena. gostaria muito de ver mais mulheres que conciliassem sensibilidade, beleza, sensualidade, inteligência e sucesso. afinal, não é isso que elas exigem da gente também?

terça-feira, março 08, 2005

o escravo tirano

ainda sobre as mortes de crianças indígenas por desnutrição no mato grosso do sul, fiquei impressionado com as informações de antropólogos que trabalham nas reservas de dourados. no domingo último, a folha de s. paulo (página a16) publicou depoimentos do professor rubem thomaz de almeida, nos quais comenta que historicamente os índios caiuá ocupavam grandes territórios, organizados em famílias extensas associadas a outras aliadas, ou seja, não formavam aldeias. porém, com o avanço da criação de gado e do plantio da soja, esses índios foram obrigados a viver em espaços bem menores. desse modo, famílias de índios rivais hoje têm que conviver juntas.
o que me choca e emociona nessa história é a triste oportunidade de poder notar como o equilíbrio social de um povo é frágil. na visão dos antropólogos, dois aspectos centrais estão por trás da miséria e desnutrição: uma crise na produção agrícola das famílias indígenas e interligada uma crise cultural.
o professor fábio mura conta que os conflitos entre as famílias de índios, que antes podiam ser resolvidos simplesmente com o deslocamento de uma delas, agora são potencializados por não haver espaço suficiente nas reservas para cultivo.
na nova organização imposta pelo estado nas reservas, foi criado o cargo de “capitão”, índio responsável por intermediar contatos e ajuda para os outros moradores. mas obviamente esse capitão acaba privilegiando sua família e aliados. os casos de desnutrição e mortalidade tendem a ocorrer nas famílias deixadas de lado nesse novo sistema.
em relação às terras de onde são originários, os índios caiuás também acreditam que seja seu dever cuidá-las. aí surge outro problema grave, pois como já disse, hoje seu território diminui muito. nessa situação os índios vêem o mundo em desordem, e muitos chegam a acreditar que está próximo de acabar. problemas de violência familiar, subnutrição e alcoolismo recebem então dos índios uma explicação vinda dessa desordem inicial, o que naturalmente cria um círculo vicioso cruel.
dois preconceitos sobre os índios, a preguiça e o alcoolismo, têm na verdade explicações muito sérias e profundas. alterando seu modo de produção e organização, muita coisa foi pisoteada nos seus costumes. os índios não são coitadinhos, nem estão certos ou errados no modo de vida que escolheram. mas claramente foram e ainda são eliminados por uma sociedade mais poderosa. o escravo reclama das correntes, porém também domina os mais fracos que ele. se existem motivos para queixas quanto ao domínio cultural, econômico, político e militar dos eua, também há muitas razões para chorar com a política do estado brasileiro para a população indígena.

segunda-feira, março 07, 2005

bossa velha

|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
|
V

domingo, março 06, 2005

SE VOCÊ ME ESQUECER

SE VOCÊ ME ESQUECER
(Pablo Neruda)

Quero que você saiba uma coisa

Você sabe como é...
Se eu olhar, a lua de cristal pelo galho vermelho
do lento outono em minha janela,
Se eu tocar, próximo ao fogo, a intocável cinza
ou o enrugado corpo da lenha,
tudo me leva a você,
como se tudo o que existe: perfumes, luz, metais,
fossem pequenos barcos que navegam
rumo às tuas ilhas que me esperam.

Bem, agora,
se pouco a pouco você deixar de me amar
eu deixarei de te amar, pouco a pouco.

Se, de repente, você me esquecer
não me procure
pois já terei te esquecido.

Se você considera longo e louco
o vento das bandeiras
que passa pela minha vida,
e decide me deixar na margem do coração
em que tenho raízes,
lembre-se que neste dia,
nesta hora,
levantarei meus braços
e minhas raízes sairão a buscar outra terra.

Mas
Se a cada dia,
cada hora,
você sentir que é destinado a mim
com implacável doçura,
se cada dia uma flor
escalar os teus lábios a me procurar,
ah meu amor, ah meu próprio eu,
em mim todo esse fogo se repete,
em mim nada se apaga nem é esquecido
meu amor se nutre no seu amor, amado,
e enquanto você viver, estará você em seus braços,
sem deixar os meus.

sábado, março 05, 2005

sin city

sexta-feira, março 04, 2005

leviatã encontra aquele sem-nome

sempre sou expulso por ele, apanho dele, sofro xingamentos, sou roubado, ele me trata como um velho gagá, comilão, ladrão, doente, sujo, desagradável, injusto. esse jovem é minha ruína, mas eu nunca o vi, nem sei seu nome. aliás, ninguém sabe ao certo o que ele é, mas todos juram que existe.
eu queria cuspir na cara dele, pichar nos muros que ele é veado, perseguir sua família, ridicularizar suas manias, declarar guerra contra seu reino, subornar todos os seus homens de confiança, eu queria fazer um pasquim sópara falar mal dele. alguém me diga onde eu acho esse filho da puta?
dizem que ele está em todos os lugares ao mesmo tempo, como o deus que eu tanto amei e odiei durante toda minha vida. o deus que eu usei quando foi conveniente e reneguei quando não foi mais. não consigo fazer o mesmocom esse sujeito porque ele não tem nenhum livro sagrado, nenhuma imagem, hino ou dia santo. mesmo assim, desgraçadamente ele tem milhões de fiéis, todos rezando na mesma cartilha. também já consegui isso um dia, pela espada e na bala. mas esse miserável nem usa isso, ele é esperto, corrompe e engana um por um na velocidade da luz, algo que eu nunca pensei ser possível.
no meu tempo, as tradições valiam tudo, era um respeito sem fim, os tolos nem se atreviam a questionar. o meu poder tinha uma áurea sagrada, o povo me amava, chorava por mim, rezava, levantava estatuas, cantava em minha homenagem. meu aniversário sempre foi feriado nacional. porém, o que eu sentia mais orgulho eram os meus prédios, palácios gigantes, imponentes, salões e corredores imensos, e sem ninguém para enfear o lugar. apenas eu. para o meu querido povo, deixei edifícios maravilhosos também, com tantas salas quanto suas queixas. foi uma jogada de mestre, o povo entrava nesses lugares e se perdia para sempre, não me enchiam mais o saco.
hoje falam que eu errei nisto, que maltratei demais as pessoas. ingratos. queria ver o que teriam feito sem mim, vocês eram uns bárbaros, um bando de assassinos. eu lhes dei a civilização! mas isso não vale mais nada, agora eu éque sou o tirano desumano. meu sucessor desconhecido fez minha caveira, fez todos acreditarem que sou ultrapassado.
mas o pior é entender que ainda estou vivo só porque ele quer. sou útil para ele assim, ferido, moribundo, porém nunca completamente morto. uma resistência o mantém atento e serve de bode expiatório para a miséria.
um dia vou encontra-lo. a única coisa que sei dele é que mora no norte. talvez até more onde eu já fui rei, vista minhas roupas, coma minhas mulheres, beba meus vinhos, arrote minha comida. quando achar ele vou olhar bem nos seus olhos e dizer: eu te amo.

leviatã

quinta-feira, março 03, 2005

severino 0 X brasil 2

severino cavalcanti é conservador e corporativista, mas não é bobo. cedeu e voltou atrás no aumento dos salários dos deputados e senadores, além de não criar resistências para o uso de embriões humanos em pesquisas de células-tronco.
nesses episódios fiquei espantado com a pressão popular, principalmente na questão salarial. claro, quase toda a mídia nacional fez campanha contra o aumento para o legislativo, mas também foram fortes as manifestações de sindicatos, empresariado, funcionalismo público e de todo o resto da sociedade. milhares de e-mails de protesto foram enviados para os deputados e senadores, uma participação popular que o país não está acostumado a ver.
é provável que o assunto tenha ajudado, pois era de fácil entendimento e iria afetar rapidamente a todos, já que após os aumentos em brasília, as assembléias legislativas e as câmaras de vereadores em todo o brasil poderiam propor também aumentos indecentes para suas casas.
os políticos precisam sentir participação popular, caso contrário esquecem que seus cargos são uma concessão pública, ou seja, eles precisam trabalhar junto com a sociedade e não contra ela.
porém, muita coisa suja ainda é feita em brasília sem a população dar um pio contra. por exemplo, os cargos de natureza especial, que na teoria deveriam ser empregados que os deputados teriam o direito de indicar sem concurso público apenas para funções técnicas e administrativas são usados de forma irregular. na verdade muitos parlamentares usam esses cargos em seus redutos eleitorais para funções políticas. hoje, são quase 2.000 cargos de natureza especial, com salários de 1.680 a 7.420 reais.
na questão das células-tronco, também houve pressão da mídia, além de cientistas e pessoas atingidas por graves patologias que podem obter mais qualidade de vida com as pesquisas dos embriões. religião e ética estavam envolvidas na votação, como há 500 anos atrás quando era proibido dissecar cadáveres, ou cerca 100 anos no passado quando transplante de órgãos era algo maldito.
a ciência só avança com esses choques, e claramente as sociedades mais adiantadas são as que procuram equilibrar ética com pesquisa. acho que o homem já brinca de deus há séculos, e nem por isso o mundo acabou. creio que o principal é estabelecer limites para cada ramo da ciência. a clonagem humana, pelo menos para nossa época, não tem fundamentos éticos e aparentemente nem traria avanços científicos úteis para a sociedade. para mim seria grotesco copiar uma pessoa, primeiro pelos riscos, e depois por estar destruindo a individualidade. claro, é o meio que nos forma em muitos detalhes, mas acho que isso seria um choque psicológico muito cruel para o ser clonado.
e para botar a câmara pra trabalhar você pode consultar essa lista da oab com os nomes e e-mais dos deputados. ou ir direto para o site de sua excelência na câmara ou senado.

jogo radical!


o primeiro mario

quarta-feira, março 02, 2005

war is money

piada velha, porém ainda atual


quando a situação econômica mundial fica estagnada, parada, é preciso fazer alguma coisa. as grandes empresas, the big ones, querem lucrar mais. é preciso simular um pouco de crescimento. mas o que fazer? simples. as grandes empresas fazem acordos com os governos para começar uma guerra com alguém. a desculpa é: "um governo tirano (diferente do nosso e mais pobre) que está ameaçando a democracia e deve ser detido". as grandes empresas entram com as armas e a tecnologia de guerra, que são altamente caras, compradas com o dinheiro dos impostos. os governos entram com a ladainha do patriotismo falso para começar a guerra. mas quem vai ser enviado para lutar? no mundo existe um grande número de jovens que vagam pelas ruas sem nada o que fazer, causando conflitos com a polícia e danificando propriedades privadas. esses jovens não tem perspectiva de arranjar um emprego. o mais óbvio então é mandá-los morrer nas guerras. essa mão de obra é muito grande e acessível, é só ensinar um moleque a atirar e mandá-lo para guerra. ele vai morrer rapidinho mas é só mandar outro no seu lugar. depois de tudo terminado dividi-se o lucro da guerra entre as grandes empresas e os governos, e constrói-se mais um monumento ao soldado desconhecido.

terça-feira, março 01, 2005

Imagino
(Arnaldo Baptista)

Imagino a minha morte
E a minha continuação

Livre, sem meu corpo
Só amando por aí

Energia pura e simples
Para além da imaginação

Ser o vento sem sentir
Numa enorme transação
Quente ou frio vou sentir
Leis da física mudando

Quais serão os postulados
As barreiras pra evolução
Eu só sei que vou sentir
Sem orelhas ou nariz
Ser amado tem ter sexo
Ser feliz como ninguém

E a procura continua
Numa enorme evolução

arnaldo baptista