sexta-feira, março 18, 2005

coluna social

confesso meu preconceito com as colunas sociais dos jornais. ler as últimas sobre as celebridades do momento nunca foi minha praia. acho essas pessoas ridículas, seus sorrisos falsos, idéias prontas, roupas cafonas, sempre tive enjôo disso.
creio que só se salvam as colunas sociais de jornais grandes, pois elas são mais sérias, comentam a vida de pessoas da política, literatura, música, economia, academia etc. essa gente “intocável” fica de porre, briga, xinga, sorri, chora, enfim, com isso dá para conhecer melhor a personalidade desses ícones, saber o lado humano deles. claro que não estou falando das colunas sociais de mau gosto, cheias de fotos de gente sarada e comentários sobre adultérios.
minha “celebridade” favorita do momento é lógico que é o severino cavalcanti. quando digo que ele é meu ídolo, não estou sendo completamente cínico. o cara é tão autêntico, tão simples, que você acaba simpatizando um pouco com ele. pelas colunas sociais, observo que ele é o arquétipo do político profissional, procura receber bem e agradar qualquer tipo de poderoso que possa dar algo em troca para ele.
é assim com a cúpula do pt, é assim com os empresários e banqueiros do país. chamou, por exemplo, o lázaro brandão, presidente do bradesco, de “dono do brasil”. acho que não seria capaz desse tipo de comportamento, não porque seja bonzinho e honesto, mas porque sou tímido e anti-social. quando não gosto de uma pessoa, o máximo que consigo ser é civilizado, bajular nunca. sei que já perdi muita coisa agindo assim, mas...
no caso de severino, segundo as colunas sociais, ele adora puxar papo, elogiar, gabar-se do seu nacionalismo e bairrismo, criticar por criticar, enfim, a língua dos poderosos. mas não dá para saber quando ele é falso ou não. talvez esse conceito de falso/verdadeiro nem faça parte da vida de um político profissional, pois cada ocasião pede um discurso que agrade o convidado.
conclusão: se severino sempre mente, não existe verdade, e assim, não existe mentira também. por isso disse que ele é (ou só parece?) autêntico.
quem diria que uma coluna social pudesse tirar a máscara de alguém... preciso rever meus conceitos.