sábado, abril 09, 2005

houve uma papisa?

são curiosos os símbolos do catolicismo, os rituais, as inúmeras roupas, as preces em latim. no funeral do papa estamos vendo milhões de pessoas acompanhando com grande atenção cada passo das cerimônias em sua homenagem. para alguns é algo um tanto ridículo, mais uma ostentação da igreja, porém o povão adora esse espetáculo. e de fato, pelo que nossos velhos parentes contam, ou o que lembramos da infância, parece que os funerais eram uma espécie de celebração da morte. o velório, o cortejo fúnebre, o luto, o enterro eram todos rituais longos, disciplinados, nos quais a comunidade participava.
esse culto do sagrado, que já foi muito mais rígido, também é fonte de lendas. o conclave para eleger o próximo papa, por exemplo, é cheio regras e mistério. obviamente surgem especulações sobre conspirações políticas e rituais religiosos ou profanos. claro que isso não é de todo mal para a igreja, ao contrário, esse segredo acaba mitificando seus símbolos.
após toda essa introdução, você vai entender que a existência de lendas bizarras ou impossíveis sobre a igreja católica é algo completamente explicável. mas o que dizer da existência de uma papisa? parece mentira da grossa, puro sacrilégio. como tantas outras lendas da idade média, esta não tem data precisa, são vários os personagens citados (com diferentes nomes), e diversas versões. porém, do mesmo modo, vários documentos históricos citam a papisa, e a lenda, naturalmente ótima, é espalhada até hoje.
para quem não conhece, vou contar a lenda mais difundida. entre os séculos ix e x, nascia em mainz, alemanha, joana, a qual na idade adulta viria a se apaixonar por um monge. o casal resolve mudar-se para atenas e lá ambos estudaram teologia e filosofia.
para ocultar seu romance, joana decide vestir-se como um homem e adotar o sacerdócio. mais tarde, os dois optam por ir morar em roma e joana, agora possivelmente chamada de johannes angelicus, avança na hierarquia da igreja e chega a ser nomeada cardeal.
por sua notável inteligência, joana finalmente é eleita pontífice. como era de se esperar, ela não abandonou sua vida amorosa e engravidou. exercendo suas funções do papado mesmo grávida, joana acaba dando a luz na rua durante uma procissão. o choque do povo foi tremendo e o castigo brutal: joana foi amarrada a um cavalo e arrastada para fora de roma, e logo em seguida apedrejada até a morte.
claro, existem lendas que classificam a papisa como enviada do demônio. outros textos dizem que na verdade a suposta mulher papa era um eunuco. também existem aqueles que classificam a lenda como difamação dos protestantes ou de setores descontes da igreja católica. quem sabe por assimilar a cultura dos homens, no tarot a carta da papisa realmente representa a sabedoria, o conhecimento, é a detentora da chave dos grandes mistérios.

papisa