terça-feira, maio 17, 2005

duas cabeças

a usaid, órgão do governo norte-americano para ajudas internacionais, ofereceu 20 milhões de dólares para o governo brasileiro combater a aids por aqui. porém, e sempre tem um porém, havia uma condição para esta doação: o brasil não deveria defender o direito à prostituição como meio de vida e, principalmente, não repassar verbas para entidades que prestam assistência aos profissionais do sexo.
o governo brasileiro rejeitou o dinheiro. uma questão de saúde pública não cabe mesmo ter conotações morais, discriminações não diminuem mortes. as prostitutas têm um risco maior de contrair a doença, não seria justo nem inteligente deixar de ajudar.
ainda nos eua, prefeitos democratas preocupados com as alterações no clima decidiram por conta própria aderir ao protocolo de kyoto. o governo bush não aceita reduzir poluentes com a justificativa de atrapalhar sua economia.
poluições do ar, do solo, da água também têm custos econômicos altos, pois afetam a agricultura, aumentam patologias, e diminuem recursos naturais. enfim, é um discurso mentiroso afirmar que o protocolo de kyoto vai quebrar o país.
hoje a direita cristã e grandes corporações mandam nos eua. felizmente existem atitudes diferentes no mundo e no próprio eua.