sábado, maio 07, 2005

mistério das línguas 2 (mentalês)

algo mais remoto que a escrita, mais antigo que a fala, é a nossa forma de raciocinar. alguns neurocientistas afirmam que o cérebro humano tem uma língua própria, algo como um mentalês. nossos pensamentos, ultra-rápidos, que envolvem reflexos, instintos, medos, inconsciente, tem uma linguagem própria que, apesar de estar dentro da nossa cabeça, não é traduzível facilmente. porém, é evidente que essa língua interna do cérebro acaba influenciando a linguagem externa.
na evolução dos homens, milhares de anos de erros e acertos devem ter sido necessários para que aos poucos o mentalês fosse adaptado para a comunicação externa. mas houve uma facilidade: como já escrevi o aparelho fonador dos homens é perfeito para a pronúncia de sons. outros animais, claro com um raciocínio menor do que os humanos, não conseguem emitir tantos sons diferentes. aquelas fábulas sobre animais falantes, lindas e maravilhosas, infelizmente não seriam mesmo possíveis. mas é interessante pensar que houve um tempo remoto em que nossa linguagem e a dos animais foi muito semelhante.